NOVOS OLHARES PELA LENTE

Por Rafael Rodrigues.

“Só preciso me certificar de que a câmera esteja carregada.”

Eu andava em passos lentos por um jardim, cujo chão era folhas secas e terra fofa. Precisava estar bem ereto e olhando para a frente, caminhando em direção à câmera. Foram apenas alguns segundos. Click.

“Será que ficou boa?” “Quer fazer de novo?” “Tem certeza?” – deixei transparecer minha insegurança para o fotógrafo e professor de história Matheus Teutschbein. “Não, está tranquilo. Agora temos que andar até a ponte”. A partir dali, caminharia como jornalista, a passos rápidos, como se estivesse que correr para pegar um depoimento ou entrevista.

A cada dia surgem pessoas que pegam sua câmera, aprofundam sobre a profissão e se arriscam na atividade, seja para ganhar uma renda extra, quebrar um galho numa festa, realizar um hobby ou até mesmo se dedicar inteiramente à profissão de fotógrafo. O “desejo” pode vir de vários lugares. Referências midiáticas, redes sociais, necessidade, prazer ou o gosto pela moda.

O preparo

Rafael Ferrer 5

©Rafael Ferrer

“Mês passado, tive a ideia de fazer um ensaio com algumas roupas que chegaram para a coleção de fim de ano da loja onde eu trabalhava e, coincidentemente, uma amiga tinha acabado de chegar do exterior”, inicia o fotógrafo Rafael Ferrer, que recentemente saiu de Muriaé para exercer sua profissão, em Juiz de Fora. “Não perdi a chance de fazer o convite e ela aceitou de cara. Daí, começamos a planejar tudo, trocando ideias todos os dias, falando sobre cabelo, maquiagem, roupas, etc. Depois de alguns dias, a data reservada para a sessão chegou e marcamos bem cedo, na minha casa. Neste dia eu acordei oito e meia da manhã, todos foram pontuais, a modelo e o assistente, que por acaso, é meu primo”, explica.

Começando seu portfólio, Rafael pretende aprofundar o estudo da fotografia com cursos e estágios em produtoras e estúdios que possibilitem seu aprendizado. “Gostaria de estagiar em uma revista ou numa agência, ter um contato diário, poder praticar, aprender e evoluir no meio. Tenho o sonho de ser reconhecido pelo meu trabalho, pelo meu gosto, de poder trabalhar numa grande empresa, revista de moda, até mesmo fora do país, expandindo o meu trabalho para todos possam ver.”

Imagética pele

Romulo Crisóstomo 1

©Rômulo Crisóstemo

“A minha rotina de trabalho começa com a uma ideia, que depois se transforma num briefing/release e daqui começo a “mexer os pauzinhos” para iniciar a produção”, afirma o produtor executivo da OMG Criativo, Rômulo Crisóstomo. Com sua equipe, incluindo os fotógrafos Jhonata Almeida, Isaac Freitas e Sulla Dufe, Crisóstomo realiza as produções. “De acordo com o tema, abordagem, mensagem, objetivo do ensaio, eu inicio a escolha de locação, casting de modelo, escolha do fotógrafo mais adequado para o tipo de fotografia a ser executada”, conta

Rômulo está realizando o projeto “Imagética Pelecom registro de pessoas nuas, trabalhando com profissionais da cidade e de outros locais. “Estou trazendo bastante conceito para esse novo trabalho, onde tento transmitir uma mensagem de liberdade, não sexual”. Quando é indagado sobre seu sonho na fotografia, o produtor responde que é ter sucesso no que faço, conseguir sobreviver disso e ser reconhecido. “Se isso acontecer, ficarei muito feliz. Mas eu tenho um sonho de menino, que é trabalhar em uma grande revista de moda, como Vogue ou Elle.

Moda e Nu

E quem já experimentou o segmento de nu artístico? A modelo Sasha Ferreira se diz confiante durante a produção, tendo o fotógrafo e amigo Igor Tibiriçá, do Oca Fotografia, no comando das sessões. “Só marco ensaio quando estou 100% de bem com o meu corpo”. Embora goste e pratique o nu artístico, Sasha também é clicada com roupas, ajudando na divulgação no seu trabalho. “Faço peças para a minha loja e também sigo um conceito sul coreano de beleza que se chama Ulzzang”, destaca a modelo.

Sasha

A modelo Sasha Ferreira, ©Igor Tibiriçá, Oca.

“Quero trabalhar com moda. Acompanho vários sites de editoriais de moda, principalmente masculina, então sempre estou procurando coisas novas pra me atualizar, seja fotos, vídeos, ou filmes”, afirma o fotógrafo Mateus Aguiar, que reveza os seus trabalhos em São Paulo e Juiz de Fora. Com a proposta de focar em editoriais masculinos, ele confessa que uma de suas metas é fazer viagens com as suas propostas de atuação e ficar conhecido no ramo. Entretanto, reconhece que ainda tem a aprender: “Quero muito fazer um curso de iluminação avançada, estudar nunca é demais, ainda não sei tudo que preciso pra essa área, então estudarei sempre”.

©Mateus Aguiar

Trabalhar com observação

Estudante de Publicidade, Leonardo Dares guia seu estilo de fotografia pela intuição, tendo insights e elementos visíveis e necessários para um ensaio. “Depois de ter tudo em mente, passo para o stylist – quando eu mesmo não faço -, beauty artist, assistente, e quem mais estiver envolvido na produção. Faço o possível para haver uma sincronia entre os envolvidos, para assim poder criar a atmosfera que eu imaginei”, conta.

Leonardo Dares 1

©Leonardo Dares

“Tudo que toca minha alma automaticamente vira uma referência para mim.” Também voltado para a moda, Leonardo diz estar em plena realização com sua expressão fotográfica. “Meu coração é voltado para fotografia de moda, sempre foi e sempre será. Gosto de experimentar novos segmentos, aprender a olhar sob diversas formas. Além de me acrescentar muito, me faz crescer”, completa.

©Leonardo Dares

 

Anúncios