DIA DOS NAMORADOS MACABRO?

 

Por Danielle Magno

my_bloody_valentine-1981-9

©Reprodução.

Há quem lamente, quem fique na fossa, quem faz post-indireta nas redes sociais da vida. Eu acho que quem tá namorando que comemore a data como achar melhor – de preferência sem infernizar quem não namora com “- aiiinnn, como você vai passar o dia dos namorados?”.

Mas quem tá solteiro e não quer sair hoje porque, bem, será possivelmente chato e cheio, temos umas dicas de séries sobre como passar por esse dia comendo pipoca, bebendo espumante e se empanturrando de brigadeiro, sem remorso. Ah, vale pra quem também tá namorando e prefere ficar em casa, porque não é obrigado a cumprir meta de romance. Bora lá…

O bom do Netflix é que podemos estar num relacionamento incrível com ele, sem mágoas, ressentimentos e cobranças (da nossa parte, porque da deles custa R$16.90, hihi). Agora resolveu investir pesado em conteúdo próprio. E como se não bastasse, libera todos os episódios para você fazer uma maratona sem nenhuma culpa cristã. E dele, indicamos a recém liberada terceira temporada da fantástica Orange Is The New Black (entre nós, fica OITNB mesmo).

Gente, não sei como vocês conseguem viver sem essa série! Criativa, sem tabus, “dramedia” dos bons. A história de mulheres das mais diferentes etnias, classses sociais e crimes relativamente leves. Sim, porque tudo se passa numa cadeia feminina, onde no começo de sua detenção, as mulheres são obrigadas a usar o uniforme laranja – daí o nome da série.

Nessa temporada, spoilers para quem não viu as anteriores: Alex e Piper se reencontram depois da denúncia de Piper, Crazy Eyes mais louca do que tudo após a morte de Vee e mais detentas novas e flashbacks da vida pregressa dos personagens. Difícil não chorar no terno primeiro episódio sobre o dias das mães na detenção. Nesta season, não tem uma vilã propriamente dita, está mais leve e cômica.  E já está confirmada a quarta temporada da série.

Ainda no Netflix, Sense8 está disponível desde o começo do mês. O tema é interessante, o desenvolvimento é meio lento, mas se você gosta do messianismo dos irmãos Wachowski (Matrix) vai curtir a série sobre oito pessoas em diferentes lugares do mundo que estão conectadas mentalmente entre si, dividindo memórias e habilidades (não, não é Heroes reload, gente).

Marvel´s Daredevil (Demolidor) ficou disponível no mês de abril e é a série de maior sucesso entre os assinantes do serviço. Aliás, o cutezinho do Charlie Fox, assim como parte das meninas de OITNB e dos meninos de Sense8, vieram ao Brasil na semana passada pra falar sobre suas façanhas. Daredevil é o melhor produto do Netflix, não sei se teve um grande orçamento, mas reflete em cada cena. Elenco de primeira, com atores interpretando com gosto. É o universo Marvel, mas ao contrário daquela coisa colorida dos Vingadores, esse personagem é sombrio, triste e herói da classe operária, ele luta não pela paz mundial e contra ETs, agindo localmente, como uma espécie de Batman do proletariado. Tem sangue, violência, romance em doses moderadas e um vilão – Vicent D´Onofrio – que é uma belezura de se ver.

Ah, vocês querem romance? Coisa leve? Então, que tal ver Downton Abbey, sobre empregados e patrões lá pelos idos de 1912, com sotaque inglês, direito a sir e lady, tudo very british, very dramatic, e muito bom! Até a rainha já foi visitar o set, se bem que ela também já foi ver o trono de ferro, mas sobre Game Of Thrones a gente deixa para outro dia! Destaque para o incrível cast com a nata da Inglaterra, incluíndo a impagável dame Maggie Smith com as melhores tiradas de um texto que é bom nos diálogos, mas não tão bom nos hiper dramáticos acontecimentos. Algumas participações especiais dignas de nota são Charlie Cox no episódio piloto sendo muito lindo, e o também muito lindo, classudo e total dono do meu <3, Iain Glen.

*** Esta postagem não é patrocinada pelo Netflix, só achei melhor indicar séries do canal por conta da facilidade de se ver o que quiser, e quando quiser. Mas ó, Netflix, tamos aí se quiser! 😉

Anúncios