CORRENTE DO BEM

1959227_538953736226695_9099335877721284022_n

Uma coisa leva a outra e, ajudando a impulsionar novos talentos, um outro novo talento é ainda mais reconhecido. Giovanna Barreto é criadora de moda local (Juiz de Fora) e se destaca pelo desenvolvimento de estampas digitais exclusivas. Sua label já desfilou por dois anos consecutivos na Mostra de Inverno e esteve na Revista F. Cultura de Moda. Formada pelo Curso de Design de Moda da Estácio de Sá/ JF, Giovanna desde cedo mostrou a que veio com suas criações.

Mas foi a vontade de dar uma forcinha para a atriz, diretora e escritora Mia Mozart, 21 anos, – cujo curta havia sido selecionado para Cannes 2014 -, o que fez uma de suas criações ir parar no tapete vermelho de um dos festivais de cinema mais importantes do mundo. Com um print atualíssimo – floral dark – num belo modelo clássico, o vestido presenteado por Giovana à Mia pode ser definido, também,  como um networking dos bons, formado por pessoas do bem.

“Ela criou um vestido de boneca. Sabe quando alguém gosta muito de você e faz algo com carinho para te dar? O vestido é isso. Uma peça feita com carinho especialmente pra mim.” 

“O cabeleireiro Philippe Oliviéer, uma pessoa incrível, me apresentou a Giovanna. Antes mesmo de falar comigo ela já tinha topado fazer meu vestido. É uma daquelas pessoas que você não encontra sempre. Ela acredita. Eu escrevi uma vez que ela era um exemplo para a cidade. E é mesmo. Eu a conheci nessa loucura do filme e foi na hora certa. Me recebeu com todo carinho e me apoiou quando as coisas ainda eram nebulosas”, descreve.

“O curta foi um sonho que a gente lutou muito pra conquistar. E chega a ser triste ver o quanto a gente teve que se desdobrar por falta de ajuda. Claro que tivemos pessoas maravilhosas como a Giovanna Barreto, o Philippe Oliviéer, Zezinho Mancini, a Funalfa… mas para uma cidade como Juiz de Fora, cheia de artistas, é triste saber que o apoio é mínimo. Não estou falando que alguém é obrigado a ajudar a gente, mas tem muitos sonhos morrendo à toa, sonhos fáceis de se realizar. Eu agradeço a Deus por ter colocado todos esses anjos no meu caminho”.

Giovanna Barreto e Philippe Oliviéer, “padrinhos” do estilo de Mia em Cannes.

Mia tem sobrenome de gênio, desde muito cedo com talento reconhecido. Mozart vem de seu pai e – quem sabe – teria uma raiz histórica de parentesco com Wolfgang. “É austríaco”, confirma Mia, em entrevista por email, revelando mais um possível link dos deuses.

Ela não é de Juiz de Fora, mas de Muriaé. “Logo cedo fui para Espera Feliz, mas cresci mesmo em uma BR, no restaurante da minha avó. Não tenho muito um endereço certo, mas Juiz de Fora é a minha casa há muitos anos, amo a cidade”. Sua mente fervilhante, como ela mesma define, fez nascer o “2 Segundos”, texto escrito para uma amiga sua, “uma pessoa extraordinariamente inspiradora”, diz. E o texto virou roteiro para o curta homônimo, que ganhou as telas de Cannes.

1902859_488299514625451_1056238024_n

Cena de 2 Segundos. Além de diretora e roteirista, Mia atua no seu próprio curta.

Nessa que foi a sua primeira viagem ao exterior, Mia Mozart sentiu o gosto da realização e reconhecimento de seu trabalho, ao lado de diretores que a inspiram e a possibilidade de transformar toda essa repercussão numa injeção de ânimo (e quem sabe investidores) em outros trabalhos. E segundo me conta, já existem planos para uma próxima criação.

Mas como assistir ao “2 Segundos”? “O filme ainda não pôde ser exibido, estamos tentando outros festivais. Mas temos uma página no Facebook que é sempre abastecida com informações”. Para acessar já: (www.facebook.com/Doisegundos)

 
Conheça outras criações de Giovanna Barreto:  www.facebook.com/giovannabarreto01
Conheça o trabalho de Philippe Oliviéer: www.facebook.com/philippe.olivieer