F.INDICA – MÚSICA

Publicado originalmente pela revista F. Cultura de Moda #9 – edição Tempestade e Ímpeto.

Por Jota Jota

neworderlostsirenscapa

NEW ORDERLOST SIRENS (2013)

Poucas bandas passaram por tantas turbulências e permaneceram de pé por tanto tempo. A partir da morte de Ian Curtis, em 1980, e do primeiro disco como New Order (Movement – 1981), foram tantos altos e baixos, pausas e retomadas, que parecia inevitável não pensarmos no fim.

Lost Sirens” é mais um capítulo dessa história. Após disputas prolongadas de direitos autorais, oito faixas chegam em novo álbum, composto por seis inéditas, uma reedição para “I Told You So” (melhor que a do disco anterior) e “Hellbent” (anteriormente realizada na coletânea “Total: From Joy Division to New Order”, de 2011). As produções são faixas extras gravadas nas longas e caras sessões de “Waiting For The Siren’s Call”, lançado oito anos atrás.

Com a saída de Peter Hook em 2007, segue-se uma eterna troca de farpas entre o baixista e Bernard Sumner, que acusa Hook de dar mais atenção à sua carreira de “dj celebridade” que aos projetos da banda. A presença de Hook em “Lost Sirens” fica discreta – um ou outro solo de baixo espalhado pelo disco, que pulsa mais na guitarra centrada de Sumner. Mesmo assim, o coro de “Californian Grass” e o intervalo instrumental em “I Got A Feeling” são lembranças de quão bem Sumner, Hook, e Stephen Morris sempre tocaram juntos, e de como essa parceria tinha uma identidade musical tão distinta de qualquer outra banda.

gary-numan-moon-falling

GARY NUMAN – DEAD MOON FALLING (2012)

Gary Numan continua sendo um dos artistas mais influentes do planeta. De “Are Friends Electric”, hit synthpop que o lançou para o mundo em 1979, até hoje, foram 20 álbuns de estúdio e uma carreira produtiva. Saído da banda post-punkTubeway Army”, Numan deslanchou um ritmo non stop de discos que o colocariam na seleta galeria dos precursores da música eletrônica, sendo reverenciado por artistas do peso de Afrika Bambaataa.

Os álbuns de Numan nunca bateram recordes de vendas, mas o pioneirismo no uso de temas de ficção científica estabeleceu uma subcultura de estilo próprio. Seu público não é punk, gótico ou metal – e não totalmente eletro. É, simultaneamente, mais simples e mais complexo do que isso. A combinação da energia da música punk com os recursos da eletrônica influencia artistas dos anos 80 até hoje.

Venerado pelos fãs, o cantor de ar enigmático lançou, no final do ano passado, “Dead Moon Falling”, álbum que traz nove remixes para faixas do disco anterior “Dead Sun Rising” e duas inéditas. Aos 34 anos de carreira, sem ter de provar mais nada pra ninguém, vemos um artista veterano que ainda pode ser reinventado sem perder sua essência.

Depeche-Mode-Delta-Machine-Album-Art-mala-1024x997

DEPECHE MODEDELTA MACHINE (2013)

 No começo de tudo, o Depeche Mode era uma banda de jovens garotos com influências do new romatic. Do synthpop de “Speak & Spell” (1981) ao sucesso estrondoso de “Music For The Masses” (1987) e “Violator(1990), eles se transformariam em uma das bandas mais conhecidas, arrastando milhares de fãs em desespero para estádios lotados, atrás da contra cultura que a banda representava. Uma trajetória que se mistura com a própria história da música mundial recente.

O tempo passou para Dave Gahan. Visivelmente envelhecido no vídeo da música “Heaven”, primeiro single a sair no novo álbum, de sua performance não se pode dizer o mesmo. A intensidade no estilo de cantar e a postura rock star sem afetação continuam marcantes em seus shows.

Delta Machine” é uma retomada a muito do que a banda essencialmente é: industrial em “Welcome To My World”, experimental em “Angel”, obscura em “My Little Universe”. Mas também retoma muito do que a banda se tornou com sua maturidade, emocional em “Heaven”, low-fi dark em “Slow”, introspectiva e bela em “Secret To The End”.

Três décadas depois, o quarteto inglês traz de volta a essência que conquistou fãs ao redor do mundo em uma trajetória de sucesso. Inspiração do passado para desenhar o futuro.

——

Para ler a coluna F.Indica direto na Revista F.Cultura de Moda acesse o link: www.fworksprodutora.com.br/f9

1